Buscar

Apesar do excesso de chuvas, produção de soja em Goiás tem previsão de alta na safra 20/21

Apesar do excesso de chuvas nas últimas semanas no estado de Goiás ter prejudicado importantes áreas produtoras de várias culturas, e atrasado a colheita, a estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) é de que haja uma produção de 133,8 milhões de toneladas de soja para a safra 2020/21 no país. Representando um aumento de 7,2% em relação à safra anterior (2019/2020).


O engenheiro agrônomo Tiago Rezende explicou que o excesso de chuvas, principalmente no mês de fevereiro foi um entrave em diversas lavouras. Isso acarretou numa perda de grãos, ainda que o balanço continue no positivo.


“O excesso de chuva em fevereiro impactou a colheita. Em alguns pontos houve perdas por não conseguir colher, porque as áreas ficaram brejadas. Afeta a qualidade sim. Começa a mofar as vagens e os grãos ficam ardidos”, afirma o engenheiro.

A expectativa é de que a safra 2020/2021 seja recorde, mesmo em meio à pandemia. De acordo com o estudo Agro em Dados, da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás,


“Fatores como dólar valorizado, preços de comercialização em patamares elevados e demanda aquecida impulsionaram investimentos no plantio da soja tanto no país quanto em Goiás”, cita trecho do documento.

Um grande aliado dos produtores rurais é a linha de crédito disponibilizadas por alguns bancos. Com ela, é possível custear insumos, comprar máquinas agrícolas e se antecipar na compra de produtos para a safra. Segundo dados do Banco Central, até janeiro deste ano, a safra 2020/2021 recebeu cerca de R$ 18 bilhões em contratações de crédito rural. Desse valor, 7,9% foram destinados a produtores rurais de Goiás, financiando uma área de 580,7 mil hectares.


Colheita em Goiás


Segundo levantamento da CONAB, até o dia 19 de fevereiro, apenas 13% das lavouras do estado de Goiás haviam sido colhidas. O atraso se deu pelo excesso de chuvas e o atraso na semeadura. Os meses de janeiro e fevereiro, normalmente, produzem um número menor de soja devido a questões sazonais - período de cultivo da oleaginosa.


Somado a esse fato, o baixo estoque do grão nos armazéns goianos também ajudou na queda no comparativo entre janeiro de 2021 e janeiro de 2020. Agora, com o período de chuvas em Goiás chegando ao fim, a estimativa é de que a exportação do grão volte a crescer no estado.


O boletim do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (IFAG) verificou que a cotação média da soja disponível em Goiás fechou em R$ 151,67/sc. Além disso, a tendência é que esses valores continuem crescendo devido à contínua valorização da soja brasileira. O engenheiro agrônomo Tiago Rezende encara o valor da saca com otimismo. Para ele, a média da cotação da soja está boa para o produtor rural.


“A média do valor da cotação da soja este ano, ficou na casa de 150,00. É um ótimo valor. 100% de lucro. A tendência da soja é subir”, comenta Tiago.
9 visualizações0 comentário

Cadastre-se
e receba sem seu e-mail as principais notícias do agronegócio e da Irrigo

© 2020 - Desenvolvido por Completta Consultoria