• Thalita Braga

Goiânia sedia 2º Seminário de Irrigação de Goiás nesta semana


Com mais de 400 inscrições efetivadas, o Sistema Faeg Senar reúne nesta semana irrigantes de todo o Estado, nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, para o 2º Seminário de Irrigação. O evento acontece em Goiânia no auditório da Faeg, com o tema “Irrigação: eficiência e sustentabilidade na agropecuária”. O seminário traz várias autoridades do setor para discutir práticas e novidades da agricultura irrigada. As inscrições podem ser feitas no site da Faeg.

A programação do Seminário será dividida em quatro painéis que discutirão os seguintes temas: ‘Construindo Ambientes Produtivos’, 'Sistemas e Tecnologias de Irrigação na Agricultura’, 'Sistemas e Tecnologias de Irrigação na Pecuária’ e ‘Alternativas Energéticas para a Irrigação’.

O evento contará com palestras de Miguel Daoud, do Canal Rural; consultora técnica da Faeg, Jordana Sara; Lineu Rodrigues, da Embrapa Cerrados; Dr. Afonso Peche, do Instituto Agronômico de Campinas; Dr. Luis Henrique Bassoi, da Embrapa Instrumentação; Cláudio Toledo, da Pivot Irrigação; consultor da MS Integração, Dirceu Broch; Adilson de Paula Almeida, das Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu), do secretário executivo do FCO, Danilo Ferreira Gomes; José Carlos, diretor executivo da Mtec Energia e Vitor Gaiardo, produtor rural e engenheiro eletricista. Também serão apresentados Casos de Sucesso.

O presidente da Associação dos Irrigantes do Estado de Goiás, Luiz Carlos Figueiredo, destaca a importância do evento para o setor de agricultura irrigada. "Esse é um momento que precisamos discutir do futuro da irrigação. O atual modelo precisa ser revisto e novas diretrizes traçadas. A Irrigo vem ano a ano conquistando espaços nos órgãos gestores, para que haja esse diálogo entre o produtor e o poder público. As mudanças precisam ser discutidas e pensadas para o bem comum da sociedade", afirma.

Irrigação no Brasil

Segundo pesquisa do Ministério da Integração, o Brasil tem potencial para expandir as terras irrigadas em até 61 milhões de hectares - o equivalente a 10 vezes o tamanho atual. A conclusão é do estudo "Análise Territorial para o Desenvolvimento da Agricultura Irrigada", elaborado pelo Ministério da Integração Nacional em parceria com a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

De acordo com dados do IBGE e da ANA, irrigação no Brasil tem crescido a taxas médias anuais entre 4,4% e 7,3% desde a década de 1960. Com uma crescente de 462 mil hectares, em 1960; 1 milhão de hectares em 1970; 3 milhões de hectares na década de 1990 e estima-se que hoje, no Brasil, existam 6,1 milhões de hectares irrigados, situados nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e Goiás. Juntos, eles possuem cerca de 68% de toda a área irrigada atualmente.

Esse crescimento pode ser observado em função dos benefícios do uso da irrigação como: aumento da produtividade, redução da pressão pelo desmatamento de novas áreas, produção agrícola com maior qualidade e maior valor agregado, redução dos riscos de perda de safra pela seca, além do aumento da geração de empregos estáveis e renda para a população rural.

Segundo estudo divulgado pela Câmara Setorial de Equipamentos de Irrigação da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), em março deste ano, a área agrícola irrigada no Brasil chegou a 5,623 milhões de hectares em 2016, alta de 4% sobre o total de 5,404 milhões de hectares irrigados em 2015.

O incremento de 218,5 mil hectares na área irrigada no País se deu basicamente pelo crescimento no uso de equipamentos pivôs centrais nas lavouras. Do total de aumento na área sobre 2015, 105 mil hectares, ou 48%, foram desse tipo de equipamento para irrigação. Se comparada à área incorporada de pivô central para a irrigação em 2015, de 78 mil hectares, o aumento foi de 34,6%.

Irrigação em Goiás Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan) divulgou um novo levantamento da área irrigada de Goiás em junho deste ano. Os números revelam uma evolução da área irrigada em todos os anos: no ano 2000, a área irrigada por pivôs era de 117.773 hectares (ha), passando para aproximadamente 212.217 ha em 2013. Já em 2015 esse número chegou a 237.365 ha, ou seja, um incremento de 24,698 ha, ou 11,61%. O estudo destaca todos os pivôs centrais instalados em Goiás e no Distrito Federal no ano de 2015, que revelou um total de 3.502 equipamentos, sendo 3.284 em Goiás e 218 no Distrito Federal com área irrigada de 237.365,60 hectares e 13.519,83 hectares, respectivamente.

Cristalina se manteve como principal utilizador de pivôs nos últimos anos, sendo o município de destaque em relação à quantidade de equipamentos e à área cultivada por pivôs centrais em relação aos demais municípiosgoianos, apresentando o maior incremento (4.336,79 ha) em comparação ao ano de 2013.

Programação:

31/08/2017 Local: Auditório da Faeg 14h: Inscrições 14h30: Abertura

Palestra de abertura 15h: “Panorama econômico e político do país: Para onde vamos? ” – Miguel Daoud - Canal Rural 16h: Política Nacional de Recursos Hídricos e Cobrança pelo uso da água – Jordana Sara – Faeg 16h40: Debate

Painel 1: Construindo Ambientes Produtivos

17h: Nova proposta para estimativa da quantidade de água utilizada na agricultura irrigada - Lineu Rodrigues - Embrapa Cerrados 17h40: Mecanização Conservacionista e Reestruturação Hídrica em Bacias Hidrográficas – Dr. Afonso Peche – Instituto Agronômico de Campinas 18h20: Debate 18h40: Coquetel e Visita Estandes

01/09/2017

Painel 2: Sistemas e Tecnologias de Irrigação na Agricultura 08h30: Agricultura de Precisão e Irrigação – Dr. Luis Henrique Bassoi – Embrapa Instrumentação 09h10: Espaço patrocinador 09h20: Viabilidade da Irrigação e comparação com áreas de sequeiro – Cláudio Toledo – Engenheiro Agrônomo 09h50: Pivot: Levando tecnologia ao Campo – Leonardo Jacinto 10h: Debate 10h20: Coffee Break

Painel 3: Sistemas e Tecnologias de Irrigação na Pecuária 10h35: Alta Produtividade na Integração Lavoura-Pecuária com Sistemas Irrigados – Dirceu Broch consultor da MS Integração 11h15: Ágil: Regularizando propriedades rurais – Fernando Godoy 11h25: O impacto da irrigação da pastagem nos resultados de sistemas de produção pecuária – Adilson de Paula Almeida Aguiar - Consultor Consupec e professor da Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu) 12h05: Espaço patrocinador 12h15: Debate 12h35: Intervalo para almoço

Painel 4: Alternativas Energéticas para a Irrigação

14h: Plano Estratégico de Investimentos da Enel Goiás para o setor rural – representante 14h20: Sistemas de geração de energia fotovoltaica e a sua regulamentação – José Carlos engenheiro eletricista e diretor executivo da MTec Energia 15h: Avanço da energia fotovoltaica no campo - Vitor Gaiardo engenheiro eletricista e produtor rural 15h40: Programas de Financiamento direcionados para energias renováveis e irrigação em Goiás –Danilo Ferreira Gomes – Secretário Executivo do FCO 16h: Espaço patrocinadores 16h30: Debate e Encerramento 16h50: Coffee Break

Assessoria de Comunicação Irrigo Thalita Braga (61) 99672-8157 | imprensa@irrigoias.com.br

#irrigação #agricultura #goiás #semináriodeirrigação #goiânia

86 visualizações

Cadastre-se
e receba sem seu e-mail as principais notícias do agronegócio e da Irrigo

© 2020 - Desenvolvido por Completta Consultoria