• Olivaldo Bormorema

Pequenas barragens


O planeta Terra é constituído de 75% de água e 25% de terra. Do total de água, 97,5% são de água salgada, que se encontra nos oceanos, e 2,5% de água doce. A maior parte da água doce não é facilmente localizada para ser utilizada, uma vez que 68,9% dela está presente na forma sólida (calotas polares e geleiras), 29,9% de água subterrânea e apenas 1,2% refere-se à água superficial, que é de fácil acesso, conhecida também como água social. Desse pequeno percentual (1,2%), 52% estão nos lagos; 38% retidos no solo, representando a umidade no perfil edafológico; 8% na forma de vapor d’água, presente na atmosfera; 1% nos lagos, reservatórios e rios; e 1% na constituição dos organismos vivos.

Uma forma de aumentar a disponibilidade da água social é a construção de barragens de grande e pequeno portes. Nas propriedades rurais, a ideia é a construção de pequenos barramentos, para aproveitar parte da água oriunda das precipitações do período chuvoso. Para o estado de Goiás, dos 1.588 mm de chuva anualmente, 472 mm refere-se ao escoamento de água que poderá ser armazenado para uso no período seco. Este sistema já está presente na maioria das propriedades com sistema de irrigação. Segundo dados levantados no Cadastro dos Irrigantes, dos 3.254 sistemas de irrigação, 2.118 têm como local de captação o barramento.

Construir pequenas barragem para armazenamento de água das chuvas, aliado a práticas de conservação de solo nas bacias de contribuição, constitui operações fundamentais para o aumento da infiltração de água no solo, com maior perenização de cursos d’água, maior número de nascentes nas bacias de cabeceira e, consequentemente, maior disponibilidade de água para o abastecimento humano e a produção de alimentos irrigados.

Pequenas barragens de terra são uma obra relativamente fácil, se forem considerados aspectos técnicos e ambientais e se estiver sob a responsabilidade de um engenheiro qualificado. Sua construção requer o conhecimento do local, dos dados edafológicos, do relevo, da bacia de contribuição e do volume de água a ser armazenado, para atender aos objetivos por meio dos quais a barragem será construída.

Outro ponto importante a ser considerado é a outorga do direito de uso da água. Esta licença estabelece os objetivos da represa, a vazão a ser utilizada e os componentes obrigatórios que compõem o maciço de terra, evitando, assim, problemas no futuro.

#recursoshídricos #barragens #irrigação

0 visualização

Cadastre-se
e receba sem seu e-mail as principais notícias do agronegócio e da Irrigo

© 2020 - Desenvolvido por Completta Consultoria